PÁGINA INICIAL       QUEM SOMOS       LINKS ÚTEIS       ANUNCIE AQUI       FALE CONOSCO gimenez541
DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS      NOTÍCIAS      ARTIGOS      VÍDEOS      COLUNISTAS      PRODUTOS
var tam=13; function mudaFonte(tipo) { if (tipo=="mais") { if(tam<20) tam+=1; }else { if(tam>12) tam-=1; } document.getElementById('tx').style.fontSize=tam+'px' ; }
você está em » Artigos
Data: 14/04/2020
 
Com formação em psicologia pela Universidade Estadual de Maringá e Pós-Graduação em Gestão de Pessoas pelas Faculdades Maringá e Instituto Paranaense de Ensino.
Dra Giovana Gimenez
 
OBJETIVO DO HUMANISMO
 

O objetivo do humanismo

 

A psicologia humanista teve início nos anos 60 nos Estados Unidos. Essa escola não tinha como objetivo ser a revisão ou a adaptação das 2 principais escolas de pensamento da época, mas sim surgiu com o intuito de substituí-las. Opunha-se à psicanálise por causa de seu determinismo e da ênfase maior no inconsciente, e ao behaviorismo também pelo seu determinismo, seu reducionismo e mecanicismo.

Os psicólogos humanistas atuavam principalmente nas clinicas e não nas universidades, e promoveram métodos terapêuticos que acentuavam a auto-realização, a responsabilidade pessoal e a liberdade de escolha, bem como a consideração da pessoa no contexto da família, do trabalho e dos ambientes sociais. Os métodos terapêuticos tinham o objetivo de elevar os níveis da consciência das pessoas, ajudá-las a se relacionar melhor consigo mesmas e com os outros e libertar potenciais ocultos de criatividade e autodesenvolvimento, ou seja, seus principais objetivos eram incrementar a saúde psicológica e a auto-realização.

Os principais teóricos que propagaram o humanismo foram Carl Rogers (1902-1987) e Abraham Maslow (1908-1970).

Abraham Maslow ao difundir a psicologia humanista conferiu um maior respeito acadêmico a esse movimento. Maslow desejava compreender as potencialidades humanas, os níveis mais altos de realizações que nós somos capazes de alcançar. Estudou uma pequena amostra de pessoas que considerava psicologicamente saudáveis, livres de neuroses e psicoses ( aproximadamente 1% da população), pois pelo menos estas pessoas podem ser capazes de chegar próximos a perfeição.

Assim, Maslow tentou mostrar aspectos positivos do ser humano, ao contrário de algumas escolas que enfatizam aspectos patológicos.

Maslow desenvolveu uma teoria da personalidade voltada para o desenvolvimento e uso de nossas capacidades e qualidades, ele afirmava que o indivíduo teria uma hierarquia de necessidades e para se auto-realizar seria preciso satisfazer essas necessidades da escala mais baixa para a mais alta.

Rogers propunha uma terapia centrada no cliente, supondo que as pessoas encontrariam em si a solução para seus problemas, sendo capazes de alterar conscientemente seus pensamentos e desejos.

A personalidade é moldada pelo presente e como a percebemos conscientemente, não tendo raízes na infância ou sendo controlada pelo inconsciente.

Para Rogers a personalidade tende a auto-realização e esse impulso é inato. É alcançado por meio de um processo denominado funcionamento pleno. Nesse ponto Rogers e Maslow se assemelham.

É em relação às características da pessoa psicologicamente saudável que os dois teóricos se diferem. Para Rogers as pessoas que alcançaram o funcionamento pleno mostram-se abertas a toda experiência vivendo intensamente cada momento não se importando com a opinião dos outros. Sua abordagem de psicoterapia se tornou tão popular quanto a psicanálise freudiana e foi muito bem aceita pelo publico geral.

Rogers influenciou o movimento do potencial humano e teve grande influência na tendência de humanização da psicologia.

 

Leia também:
Burnout na clínica psiquiátrica
OBJETIVO DO HUMANISMO
 
Copyright (c) 2015 Atitude em Tudo | Todos os direitos reservados.